Quando você acha que os jogos de futebol ‘estacionaram’ e não podem mais se reinventar, a EA vem, e mostra que você está errado! FIFA 18 chegou para trazer tudo aquilo que já vimos e adoramos nos jogos anteriores da franquia, porém com melhorias incríveis que fazem jus a tanto sucesso que, na minha opinião, é totalmente merecido.

 

A Jornada

FIFA 18 pode ser para alguns um simples jogo de futebol como estamos cansados de ver de anos em anos, mas não é bem assim. O esforço da desenvolvedora para trazer uma experiencia nova é cada vez mais visível a começar pelo incrível modo história que se destaca do seu principal concorrente e pra mim resgata aquele clima desafiante de FIFA 17. Os jogadores fãs do single-player e fãs do esporte agradecem pela desenvolvedora não ter abandonado esse ambicioso modo, que pelo visto, chegou para ficar! Neste modo – intitulado “A Jornada” temos o retorno de Alex Hunter, que após obter sucesso no início de sua carreira, enfrentará novos desafios rumo ao topo. Embora vejamos alguns pontos fracos no roteiro (como o jogador “abandonar” a primeira divisão da Inglaterra para jogar em um clube dos EUA, para depois – talvez – acabar em um gigante europeu) não podemos deixar de citar o quanto a EA se esforçou para mostrar as dificuldades que um jogador pode enfrentar no decorrer de sua carreira.

Também temos que citar um ponto bastante irritante de “A Jornada” onde alguns diálogos não tiveram sua dublagem trazida para o português, onde um personagem fala em português e alguns respondem normalmente em inglês, casos por exemplo do Cristiano Ronaldo e de Rio Ferdinand. Mas pode ser que talvez seja algo relacionado a contrato, não temos esta informação. Ainda assim, é uma experiencia única e incrível poder ter a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre os bastidores de um jogador de futebol.

 

Vida Real x Ficção

Com jogadores muito parecidos com os da vida real (realmente incrível a semelhança da grande maioria), assim como expressões faciais e corporais mais bem trabalhadas, estádios impecavelmente recriados e identidade visual das “Leagues” levada a sério, a sensação é que estamos realmente assistindo um jogo real, claro, se jogarmos sem os comentários de Tiago Leifert e Caio Ribeiro, que mais uma vez, incluem piadas sem graça e por vários momentos investem em um estilo chato de interação com você, querendo lembrar que você é um jogador de FIFA (ou “Fifinha”, com as próprias palavras deles) quebrando o clima totalmente da “realidade” citada acima e prejudicando totalmente a nossa imersão no game.

Outro problema contratual que ainda se encontra presente na franquia é o dos jogadores nacionais. Mais um ano o FIFA repete o que aconteceu com os antecessores e não trás os jogadores que jogam nos nossos clubes, nem algumas equipes que estão presentes na primeira divisão, dessa forma os mais ligados ao futebol do Brasil não verão muita graça ao encarar um campeonato brasileiro, já os que não ligam muito para o nosso futebol, terão uma experiencia única e completa neste quesito.

 

Melhorias muito significativas

Como citamos anteriormente, as melhorias gráficas dos 17 para o 18 foram incrivelmente perceptivas, assim como o titulo consegue nos trazer algumas mudanças sutis quando se trata das partidas, uma delas é a redução da velocidade, o que incomodava muito anteriormente era aquela corrida desenfreada que a todo momento nos passava a sensação de correria, mesmo quando não era para passar. Isso não quer dizer que jogadores rápidos da vida real não se destaquem, mas aquela velocidade “super humana” diminuiu e agora as equipes n~]ao são totalmente dependentes destes “velocistas” para alcançar uma boa partida, o que torna a partida ainda mais realista.

Mia suma melhoria que deverá agradar os mais exigentes é o sistema de passes, que está menos automatizado. Ou seja, agora ficou mais difícil tocar a boa, com o jogo nos obrigando a mirar exatamente para onde querermos que ela vá e apesar disso gerar algumas situações bizarras, torna a jogabilidade um pouco melhor. Outra coisa legal é que essa melhoria depende da dificuldade que você está jogando, por exemplo, uma dificuldade mais fácil torna esses passes um pouco mais automatizados, assim como, mostra a todo momento em tela o botão necessário para fazer o estilo de passe sugerido naquela situação, já em uma dificuldade mais avançada, você tipo ativa o modo “te vira!” e terá que acostumar com os passes totalmente no modo manual e sem nenhum tipo de ajuda visual.

Ponto positivo também para a adição das substituições rápidas, que nos permitem trocar jogadores sem precisarmos acessar o menu, ajudando assim a não quebrar o ritmo das partidas. A inteligencia artificial também merece um destaque por sua melhoria, os zagueiros, por exemplo, se organizam muito melhor no gramado, cobrindo espaços deixados por outros atletas e tornando mais difícil a aproximação bruta do ataque na área.

 

Modo Carreira

Embora muitos vejam jogos de futebol como um jogo totalmente casual, o modo carreira é muito importante para a maioria das pessoas que investem na franquia, e nisso os jogadores podem ficar felizes ao comprar o FIFA 18. A principal novidade que ficará visivel para os jogadores de outros anos, é que agora, cada vez que você vender ou comprar um jogador você poderá optar por uma série de aspectos, ao mesmo tempo que uma conversa ocorre com o dirigente, onde poderemos escolher o valor que será pago ou recebido, a porcentagem dos direitos que ficará com o vendedor do jogador, também podemos negociar o tempo de contrato, seu papel no clube, e diversas outras coisas, algo pensado pela EA para tornar a imersão ainda maior.

[review]

Análise feita no PS4 com cópia fornecida pela EA Games. Obrigado, pessoal!