Assassin’s Creed Origins trouxe um novo começo e uma partida para a série, não só por começar em um momento da história que é conhecido literalmente por ser as origens de muito do que conhecemos, mas por ousar em novas mecânicas e novas modalidades até então desconhecidas na franquia.  Origins acrescenta um novo sistema de luta para a série que exige mais táticas do que o ritmo rítmico, e acrescenta mais profundidade ao estilo RPG do que nunca, com múltiplas árvores de habilidades profundas, uma enorme variedade de armas e elementos de criação.

Assassin’s Creed Origins está ambientado no antigo Egito em torno de 50 aC, época em que o antigo Egito já era antigo. Este período de tempo dá ao jogo a oportunidade de criar uma recreação viva e respiratória de uma das maiores civilizações antigas do mundo e um mundo cheio de túmulos e templos há muito esquecidos para explorar e, bem, atacar. Uma das maiores promessas da desenvolvedoras era justamente essa, de criar uma experiencia vívida dessa área do planeta tão rica em cultura e mistérios, e bem, a desenvolvedora conseguiu cumprir essa promessa com maestria, a ambientação está incrível!

Ptolomeu é faraó, mas ele não é muito apreciado pelas pessoas e deve lutar com Cleópatra e os romanos e seus esquemas concorrentes de poder. O verdadeiro poder nos bastidores, porém, é The Order of Ancients, uma sociedade secreta com um fascínio pelo oculto. O protagonista que você vai jogar neste mundo é Bayek, um guerreiro protetor do faraó e do povo egípcio conhecido como Medjay. A Ordem dos Antigos é responsável pela morte do filho de Bayek, e então ele embarca em uma vingança pessoal para derrubar seus líderes, um a um. A busca de vingança corererá nas correntes muito maiores que atravessam a política do Egito, e sua missão pessoal terá um profundo efeito sobre o futuro do Egito e do mundo além.

O Egito em Origens é vasto, abrangendo toda a área terrestre ocupada pela civilização egípcia, de Alexandria e do Mediterrâneo, no norte, para o vasto deserto do sul. O mapa do jogo é dividido em quase 30 províncias, cada uma das quais levará algumas horas para explorar e completar todas as missões, atividades e desafios contidos. Enquanto você pode andar de uma extremidade do Egito para o outro, não é aconselhável fazê-lo. Para mantê-lo focado em prosseguir a história do jogo na sua linha de tempo desejada, cada região é sintonizada em um intervalo de nível e se você se aproximar de uma zona de alto nível antes de estar pronto, você precisará evitar o contato com os inimigos e animais locais ou Você será rapidamente derrotado.

Há uma certa emoção, no entanto, ao fazer coisas como entrar em Gizé no início do jogo e superar hienas que podem matá-lo em uma mordida para que você possa escalar a Grande Pirâmide e depois deslizar para baixo do outro lado. Na verdade, escalar muitos dos pontos de sincronização do jogo leva a algumas impressionantes vistas panorâmicas da área circundante e dos pontos de referência. Depois de absorver tudo durante alguns momentos, você pode usar o recurso de foto do jogo para tirar uma imagem para desfrutar em qualquer momento mais tarde. A recreação do jogo do antigo Egito também é impressionante em uma escala muito mais próxima. As pessoas no jogo não se sente como adereços, caminhando para trás e para frente para dar a impressão de que você não está realmente sozinho no mundo. Em vez disso, eles são atores em um mundo vivo, indo sobre suas vidas diárias, cultivando, negociando, falando, comendo e vivendo.

Esses intervalos de nível nas províncias não tornam o jogo tão aberto como parece ser, pois te limita ir e vir para qualquer lugar durante o seu avanço, mas eles ajudam a mantê-lo no caminho certo para seguir as missões da história. Porque as missões da história cada um têm um nível recomendado para levá-las, pode haver algum tempo entre elas, o que às vezes pode tornar a história um pouco disjunta. No entanto, há muito o que fazer entre as missões da história. Uma vez que você também pode ganhar experiência, descobrindo novos locais, encontrando tesouros e completando o número abundante de missões secundárias disponíveis.

Durante a sua exploração você se encontrará em muitas lutas com soldados, bandidos e a fauna local, e se você jogou jogos do Assassin’s Creed antes de descobrir que essas lutas são decididamente diferente do que antes. As mortes por Stealth ainda são uma grande parte do jogo, e se esgueirar para se posicionar e matar inimigos desavisados ​​por trás, acima ou abaixo é uma maneira importante até mesmo as chances antes de uma batalha começar. Se você estiver trocando golpes, o jogo usa um sistema de bloqueio, clique em R3 para bloquear e deslize o stick para mudar para um novo inimigo. Existem botões de ataque leve e pesado ligados a R1 e R2, com a função esperada que acende luz, mas é rápida e a outra dura, mas lenta. O sistema de combate é agora mais tático, enfatizando esquivando-se ou bloqueando ataques ao procurar aberturas para atacar. Nada tão estratégico como em For Honor, mas muito mais do que em jogos passados da franquia Assassins Creed. Essas mudanças tornaram as lutas mais atrativas do que em jogos anteriores e funciona bem quando você está enfrentando um ou alguns adversários. Se as coisas se transformarem em uma cena da multidão, torna-se bastante difícil de gerenciar, mas suponho que seja assim que as coisas aconteçam em um corpo a corpo da vida real.

Os arcos também são uma arma importante e vêm em quatro aulas. Os arcos leves são bons para disparos rápidos de fogo, por isso são úteis de perto. “Arcos Predadores” são perfeitos para atirar inimigos enquanto tentam permanecer escondidos. “Warrior” atira várias flechas ao mesmo tempo, então é bom para diluir um grupo de inimigos vindo em sua direção. Finalmente, os arcos do caçador costumam derrubar animais ou inimigos com um tiro único e poderoso. Seu arco está amarrado a L1 enquanto os botões de ataque estão nos disparadores certos, então você pode alternar entre seu arco e sua arma corpo-a-corpo rapidamente.

Na vista técnica do jogo, os gráficos são IMPRESSIONANTES, os ambiente são realmente imersivos e a trilha sonora é muito boa e combina demais com a ambientação. A jogabilidade, e suas novas possibilidades foram realmente bem trabalhadas para nos trazer uma experiencia diferente dos demais e incrível. As missões do jogo são muito divertidas e a maioria das vezes são bem desafiadoras, mas nada impossível e sim na medida certa, como tem que ser. Uma das poucas ressalvas que tenho que fazer sobre o jogo, é algo bem superficial mas muito vergonhoso. A dublagem em Portugues Brasileiro de Assassins Creed Origins é muito, MAS MUITO, ruim. Sério, se você deseja ter uma experiencia incrível em seu total potencial e não espera que nada atrapalhe, jogue dublado em inglês com legendas em português pelo menos. Porque realmente faz uma diferença. A história total do game te renderá em média de 32 a 35 horas.

PS: Sou muito fã da dublagem e dubladores nacionais, mas sério, não sei o que houve na dublagem de AC Origins aqui.

[review]

Criador e Diretor de conteúdo do Site AcessoGEEK, trabalho com Marketing, sou extremamente nerd, viciado em jogos digitais de todos os tipos, épocas e gêneros, seriemaníaco, cinéfilo em nível máximo, admirador da astronomia e suas teorias místicas de viagens no espaço, aliens e planetas habitáveis. Sonho em conhecer a NASA e ficar amigo de um duende que me ensine a fazer mágica.